Você está aqui: Página Inicial Notícias 2014 Julho Sistemas aquáticos: pesquisador alemão apresenta pesquisa aplicada em Santarém

Sistemas aquáticos: pesquisador alemão apresenta pesquisa aplicada em Santarém

Conhecer os processos físico-químicos das águas subterrâneas da região de Santarém, localizada na zona climática tropical do planeta. Esse é o objetivo da pesquisa que está sendo desenvolvida pelo doutorando alemão Simon Mayer, integrante do Instituto de Física Ambiental da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, que na última quarta-feira, dia 9, proferiu a palestra “Sistemas aquáticos: águas subterrâneas e paleoclima”, no auditório 1 do Bloco de Salas Especiais do Câmpus Tapajós da UFOPA, em Santarém (PA).

Com tradução do docente do curso de Física Ambiental da UFOPA, Prof. Dr. Benhard Gregor Peregovich, o doutorando, na ocasião, mostrou os grupos de pesquisas do instituto alemão, métodos de pesquisas e dados coletados em diferentes zonas climáticas do planeta, mas também os dados da pesquisa realizada há três semanas na região.

Com a colaboração da também pesquisadora alemã, Therese Weißbach, e do docente da UFOPA, Prof. Dr. Carlos José Machado, Simon Mayer, em sua pesquisa, coletou amostras de águas de lençóis freáticos e também amostras do ar, próximo ao solo, em áreas não saturadas. “Primeiramente, nós procuramos certas localidades adequadas a esse tipo de pesquisas, como poços de casa de Alter do Chão, do bairro Caranazal, da comunidade São Braz, de áreas ao longo da rodovia Curuá-Una, de áreas de planalto e de planície, além da Floresta Nacional do Tapajós”, disse o pesquisador, informando ainda que as análises dos dados coletados serão feitas nos laboratórios do instituto da universidade alemã.

Ainda de acordo com Simon Mayer, como esse tipo de pesquisa já foi realizada em outras zonas climáticas do planeta, como no Havaí (EUA), por exemplo, o importante é saber de que modo as atividades biológicas das zonas tropicas afetam os resultados encontrados nas diferentes zonas climáticas. “Em Santarém, esperamos uma atividade biológica elevada, bem mais intensa, e o que queremos descobrir é como essa atividade afeta a composição dos gases nobres, tanto na água como no solo poroso, localizado em cima do lençol freático”, explica o pesquisador.

Aplicação – Na avaliação do Prof. Peregovich, como o grupo de pesquisa desenvolve pesquisas de física pura, elas “podem ser aplicadas em outras disciplinas, como a geologia, favorecendo a interdisciplinaridade aplicada”, afirma. Já para a bióloga Adriane Gama, colaboradora do projeto Saúde e Alegria, presente na palestra, “são pesquisas como essa que precisamos conhecer, e, além de conhecer, quem sabe até mesmo ter uma participação. Até porque nós moramos nessa região e nós sabemos que ela tem um aquífero, considerado um dos maiores do planeta. Então, a importância dessas pesquisas é fazer com que nós possamos potencializar as ações dos estudos aqui na região, para que os resultados possam favorecer as pessoas que moram aqui, principalmente as que moram no entorno do rio Tapajós, como as comunidades ribeirinhas”, defende.

Talita Baena – Comunicação/UFOPA

10/7/2014